Segunda-feira, 9 de Maio de 2016

Clara Dawn - Mãe, Eu Te Perdoo. Perdoa-Me Também!

mãe34.jpg

 

Mãe, Eu Te Perdoo. Perdoa-Me Também!

 

Ontem foi o aniversário da Naty, mãe. Ela estava linda de debutante. A vovó sempre disse que ela se parece com você quando você tinha a idade dela. Perguntei a vovó se era apenas semelhança física e ela riu. Olhou para a Naty e disse que se ela fosse sua filha talvez não fosse tão parecida no jeito rebelde de ser.

Disso eu sei, pois eu jamais quis parecer-me contigo. Moldei a minha aparência para não copiá-la em coisa alguma e sempre ignorei a sua presença para não repetir inconscientemente algum dos seus gestos.

Você sabe do desprezo que sempre tive por você. E não foi sem razão, pois você apenas me gerou, me trouxe ao mundo sem jamais querer-me por um único momento e entregou-me aos cuidados de minha avó – essa sim – é minha mãe de verdade.

Mas ontem, olhando para a Naty ali dançando a tão sonhada valsa de debutante com o pai, fiquei imaginando se ela, que hoje completa a mesma idade que você tinha quando me deu à luz, seria capaz de criar um filho. Olhei para Naty e me lembrei que até ontem ela brincada com bonecas e ficava enrubescida só de falar em beijar um garoto.  Naquele momento eu tive pena de você, mãe.

Porque concluí que você era criança demais para saber o que fazer com outra criança. E eu que passei anos me esforçando para jamais ser igual a você, para dar a minha filha tudo que você jamais me deu… Eu que de tudo fiz para esquecer a sua existência, esqueci-me de de ensinar a Naty uma coisa muito importante. Uma coisa que a vovó lhe ensinou, ensinou a mim também: que uma mãe, no verdadeiro sentido divino desta palavra, jamais tira a vida de um filho ainda que não tenha condições psicossociais para criá-lo.

Sabe por que estou dizendo isso, mãe? Porque ontem, enquanto a Naty bailava nos braços do pai, ela desmaiou. A princípio pensamos que seria um mal estar por ela ter passado o dia inteiro sem comer para ficar magra no vestido, coisa de moça.

Levamos-a ao Pronto Socorro e o médico nos contou que ela havia praticado um aborto e por isso estava tão fraca. Estupefatos diante da notícia fomos falar com ela. Perguntamos se ela havia praticado aquele ato infame por medo de brigarmos com ela. Mas ela, firme e convicta de sua decisão disse: “eu não o queria”.

Ah!, minha mãe, eu preciso lhe perdoar. Eu preciso que me perdoe também. Porque hoje eu olho para a Naty, minha filha, e penso que ela não é parecida com você. A vovó está enganada. Você só não criou a sua filha, mas entregou-a aos cuidados de quem pudesse amá-la e cuidar dela enquanto você crescia. Mas como eu poderia ensinar a Naty o que é ser mãe se eu mesma repudiava a minha? Definitivamente, mãe, a Naty não se parece com você. Ela se parece comigo, a diferença entre nós duas é que, injustamente, uma matou o filho e a outra matou a mãe.

Texto de ficção, da romancista Clara Dawn

 

Retirado de Portal Raizes


publicado por olhar para o mundo às 09:13
link do post | comentar | favorito

Direitos de Autor


Todas as imagens que estão no blog foram retiradas do Facebook, muitas delas não tem referência ao autor ou à sua origem, se porventura acha que tem direitos sobre alguma e o conseguir provar, por favor avise-me que será retirada de imediato.

.mais sobre mim

.pesquisar

 




Direitos de Autor


Todas as imagens que estão no blog foram retiradas do Facebook, muitas delas não tem referência ao autor ou à sua origem, se porventura acha que tem direitos sobre alguma e o conseguir provar, por favor avise-me que será retirada de imediato

.posts recentes

. Clara Dawn - Mãe, Eu Te P...

.últ. comentários

Que amor e gratidão tão sentidos.Um privilégio ler...
.....nevegar?
Estou cansado de ver esta frase no Facebook atribu...
Maomé matou numa semana uma tribo inteira de judeu...
Lamento mas o texto não é de Santo Agostinhohttp:/...
Ola Jorge,Muito grata por sua pronta resposta e po...
OláJá corrigi o post e atribuí o nome correcto na ...
Olá, quero deixar registrado aqui que esta frase d...
Um grande politico.Uma grande perda para Portugal.
Verdade Universal.

.arquivos

. Outubro 2018

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

.tags

. imagem

. facebook

. frases

. pensamentos

. vídeo

. música

. lyrics

. letra

. vida

. textos

. amor

. humor

. anedota

. piada

. pessoas

. mulher

. imagens do facebook

. cartoon

. felicidade

. amar

. coração

. homem

. miguel esteves cardoso

. viver

. tempo

. mia couto

. mulheres

. imagens

. poesia

. mundo

. ser feliz

. crianças

. política

. fernando pessoa

. educação

. filhos

. poema

. sonhos

. aprender

. criança

. mãe

. animais

. palavras

. pensar

. liberdade

. medo

. natal

. respeito

. silêncio

. caminho

. amigos

. pensamento

. paz

. portugal

. dinheiro

. ser

. alma

. clarice lispector

. dor

. sorrir

. josé saramago

. mafalda

. mudar

. passado

. coragem

. recados

. amizade

. desistir

. escolhas

. beleza

. morte

. ricardo araújo pereira

. falar

. fazer

. feliz

. homens

. país

. pais

. coisas

. cultura

. povo

. religião

. sabedoria

. sentimentos

. verdade

. educar

. livros

. sorriso

. chuva

. ensinar

. problemas

. saudade

. acreditar

. olhar

. osho

. pessoa

. sentir

. abraço

. adopção

. chorar

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds