Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

Frases do Facebook - Solidão é cair dentro de ti e permanecer no chão

solidao.jpg

 

Solidão é cair dentro de ti e permanecer no chão

 

tags: ,
publicado por olhar para o mundo às 08:13
link do post | comentar | favorito
Domingo, 14 de Maio de 2017

Frases de Bento XVI no Facebook - O homem só se torna maduro quando enfrenta sua prórpria solidão

solidão6.jpg

 

O homem só se torna maduro quando enfrenta sua prórpria solidão

Papa Bento XVI

 

publicado por olhar para o mundo às 17:13
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 20 de Abril de 2017

Frases do Facebook - Solidão não se cura com amor dos outros, cura-se com amor próprio

solidão22.jpg

 

Solidão não se cura com amor dos outros, cura-se com amor próprio

 

publicado por olhar para o mundo às 12:13
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 15 de Março de 2017

Rubem Alves - A solidão amiga

rubem alves.jpg

 

A solidão amiga

A noite chegou, o trabalho acabou, é hora de voltar para casa. Lar, doce lar? Mas a casa está escura, a televisão apagada e tudo é silêncio. Ninguém para abrir a porta, ninguém à espera. Você está só. Vem a tristeza da solidão... O que mais você deseja é não estar em solidão...

Mas deixa que eu lhe diga: sua tristeza não vem da solidão. Vem das fantasias que surgem na solidão. Lembro-me de um jovem que amava a solidão: ficar sozinho, ler, ouvir, música... Assim, aos sábados, ele se preparava para uma noite de solidão feliz. Mas bastava que ele se assentasse para que as fantasias surgissem. Cenas. De um lado, amigos em festas felizes, em meio ao falatório, os risos, a cervejinha. Aí a cena se alterava: ele, sozinho naquela sala. Com certeza ninguém estava se lembrando dele. Naquela festa feliz, quem se lembraria dele? E aí a tristeza entrava e ele não mais podia curtir a sua amiga solidão. O remédio era sair, encontrar-se com a turma para encontrar a alegria da festa. Vestia-se, saía, ia para a festa... Mas na festa ele percebia que festas reais não são iguais às festas imaginadas. Era um desencontro, uma impossibilidade de compartilhar as coisas da sua solidão... A noite estava perdida.

Faço-lhe uma sugestão: leia o livro A chama de uma vela, de Bachelard. É um dos livros mais solitários e mais bonitos que jamais li. A chama de uma vela, por oposição às luzes das lâmpadas elétricas, é sempre solitária. A chama de uma vela cria, ao seu redor, um círculo de claridade mansa que se perde nas sombras. Bachelard medita diante da chama solitária de uma vela. Ao seu redor, as sombras e o silêncio. Nenhum falatório bobo ou riso fácil para perturbar a verdade da sua alma. Lendo o livro solitário de Bachelard eu encontrei comunhão. Sempre encontro comunhão quando o leio. As grandes comunhões não acontecem em meio aos risos da festa. Elas acontecem, paradoxalmente, na ausência do outro. Quem ama sabe disso. É precisamente na ausência que a proximidade é maior. Bachelard, ausente: eu o abracei agradecido por ele assim me entender tão bem. Como ele observa, "parece que há em nós cantos sombrios que toleram apenas uma luz bruxoleante. Um coração sensível gosta de valores frágeis". A vela solitária de Bachelard iluminou meus cantos sombrios, fez-me ver os objetos que se escondem quando há mais gente na cena. E ele faz uma pergunta que julgo fundamental e que proponho a você, como motivo de meditação: "Como se comporta a Sua Solidão?" Minha solidão? Há uma solidão que é minha, diferente das solidões dos outros? A solidão se comporta? Se a minha solidão se comporta, ela não é apenas uma realidade bruta e morta. Ela tem vida.

Entre as muitas coisas profundas que Sartre disse, essa é a que mais amo: "Não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você." Pare. Leia de novo. E pense. Você lamenta essa maldade que a vida está fazendo com você, a solidão. Se Sartre está certo, essa maldade pode ser o lugar onde você vai plantar o seu jardim.

Como é que a sua solidão se comporta? Ou, talvez, dando um giro na pergunta: Como você se comporta com a sua solidão? O que é que você está fazendo com a sua solidão? Quando você a lamenta, você está dizendo que gostaria de se livrar dela, que ela é um sofrimento, uma doença, uma inimiga... Aprenda isso: as coisas são os nomes que lhe damos. Se chamo minha solidão de inimiga, ela será minha inimiga. Mas será possível chamá-la de amiga? Drummond acha que sim: "Por muito tempo achei que a ausência é falta./ E lastimava, ignorante, a falta./ Hoje não a lastimo./ Não há falta na ausência. A ausência é um estar em mim./ E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,/ que rio e danço e invento exclamações alegres,/ porque a ausência, essa ausência assimilada,/ ninguém a rouba mais de mim.!"

Nietzsche também tinha a solidão como sua companheira. Sozinho, doente, tinha enxaquecas terríveis que duravam três dias e o deixavam cego. Ele tirava suas alegrias de longas caminhadas pelas montanhas, da música e de uns poucos livros que ele amava. Eis aí três companheiras maravilhosas! Vejo, frequentemente, pessoas que caminham por razões da saúde. Incapazes de caminhar sozinhas, vão aos pares, aos bandos. E vão falando, falando, sem ver o mundo maravilhoso que as cerca. Falam porque não suportariam caminhar sozinhas. E, por isso mesmo, perdem a maior alegria das caminhadas, que é a alegria de estar em comunhão com a natureza. Elas não vêem as árvores, nem as flores, nem as nuvens e nem sentem o vento. Que troca infeliz! Trocam as vozes do silêncio pelo falatório vulgar. Se estivessem a sós com a natureza, em silêncio, sua solidão tornaria possível que elas ouvissem o que a natureza tem a dizer. O estar juntos não quer dizer comunhão. O estar juntos, frequentemente, é uma forma terrível de solidão, um artifício para evitar o contato conosco mesmos. Sartre chegou ao ponto de dizer que "o inferno é o outro." Sobre isso, quem sabe, conversaremos outro dia... Mas, voltando a Nietzsche, eis o que ele escreveu sobre a sua solidão:

"Ó solidão! Solidão, meu lar!... Tua voz - ela me fala com ternura e felicidade!

Não discutimos, não queixamos e muitas vezes caminhamos juntos através de portas abertas.

Pois onde quer que estás, ali as coisas são abertas e luminosas. E até mesmo as horas caminham com pés saltitantes.

Ali as palavras e os tempos/poemas de todo o ser se abrem diante de mim. Ali todo ser deseja transformar-se em palavra, e toda mudança pede para aprender de mim a falar."

E o Vinícius? Você se lembra do seu poema O operário em construção? Vivia o operário em meio a muita gente, trabalhando, falando. E enquanto ele trabalhava e falava ele nada via, nada compreendia. Mas aconteceu que, "certo dia, à mesa, ao cortar o pão, o operário foi tomado de uma súbita emoção ao constatar assombrado que tudo naquela casa - garrafa, prato, facão - era ele que os fazia, ele, um humilde operário, um operário em construção (...) Ah! Homens de pensamento, não sabereis nunca o quando aquele humilde operário soube naquele momento! Naquela casa vazia que ele mesmo levantara, um mundo novo nascia de que nem sequer suspeitava. O operário emocionado olhou sua própria mão, sua rude mão de operário, e olhando bem para ela teve um segundo a impressão de que não havia no mundo coisa que fosse mais bela. Foi dentro da compreensão desse instante solitário que, tal sua construção, cresceu também o operário. (...) E o operário adquiriu uma nova dimensão: a dimensão da poesia."

Rainer Maria Rilke, um dos poetas mais solitários e densos que conheço, disse o seguinte: "As obras de arte são de uma solidão infinita." É na solidão que elas são geradas. Foi na casa vazia, num momento solitário, que o operário viu o mundo pela primeira vez e se transformou em poeta.

E me lembro também de Cecília Meireles, tão lindamente descrita por Drummond:

"...Não me parecia criatura inquestionavelmente real; e por mais que aferisse os traços positivos de sua presença entre nós, marcada por gestos de cortesia e sociabilidade, restava-me a impressão de que ela não estava onde nós a víamos... Distância, exílio e viagem transpareciam no seu sorriso benevolente? Por onde erraria a verdadeira Cecília..."

Sim, lá estava ela delicadamente entre os outros, participando de um jogo de relações gregárias que a delicadeza a obrigava a jogar. Mas a verdadeira Cecília estava longe, muito longe, num lugar onde ela estava irremediavelmente sozinha.

O primeiro filósofo que li, o dinamarquês Soeren Kiekeggard, um solitário que me faz companhia até hoje, observou que o início da infelicidade humana se encontra na comparação. Experimentei isso em minha própria carne. Foi quando eu, menino caipira de uma cidadezinha do interior de Minas, me mudei para o Rio de Janeiro, que conheci a infelicidade. Comparei-me com eles: cariocas, espertos, bem falantes, ricos. Eu diferente, sotaque ridículo, gaguejando de vergonha, pobre: entre eles eu não passava de um patinho feio que os outros se compraziam em bicar. Nunca fui convidado a ir à casa de qualquer um deles. Nunca convidei nenhum deles a ir à minha casa. Eu não me atreveria. Conheci, então, a solidão. A solidão de ser diferente. E sofri muito. E nem sequer me atrevi a compartilhar com meus pais esse meu sofrimento. Seria inútil. Eles não compreenderiam. E mesmo que compreendessem, eles nada podiam fazer. Assim, tive de sofrer a minha solidão duas vezes sozinho. Mas foi nela que se formou aquele que sou hoje. As caminhadas pelo deserto me fizeram forte. Aprendi a cuidar de mim mesmo. E aprendi a buscar as coisas que, para mim, solitário, faziam sentido. Como, por exemplo, a música clássica, a beleza que torna alegre a minha solidão...

A sua infelicidade com a solidão: não se deriva ela, em parte, das comparações? Você compara a cena de você, só, na casa vazia, com a cena (fantasiada ) dos outros, em celebrações cheias de risos... Essa comparação é destrutiva porque nasce da inveja. Sofra a dor real da solidão porque a solidão dói. Dói uma dor da qual pode nascer a beleza. Mas não sofra a dor da comparação. Ela não é verdadeira.

Mas essa conversa não acabou: vou falar depois sobre os companheiros que fazem minha solidão feliz.

 

Retirado de Pensador

publicado por olhar para o mundo às 09:13
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 9 de Março de 2017

Frases do Facebook - Quando estou triste, olho para o céu e penso: o sol também está só e brilha todos os dias

só.jpg

 

Quando estou triste, olho para o céu e penso: o sol também está só e continua a brilhar

 

publicado por olhar para o mundo às 08:13
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 8 de Março de 2017

Frases de Chico Buarque no Facebook - Hoje na solidão ainda me custa a entender como o amor foi tão injusto

solidão.jpg

 

Hoje na solidão ainda me custa a entender como o amor foi tão injusto para quem o amor só lhe foi dedicação

 

Chico Buarque 

 

 

publicado por olhar para o mundo às 21:13
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 1 de Fevereiro de 2017

Frases de Fernando Pessoa no Facebook - Enquanto não atravessarmos a dor de nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades

solidã03.jpg

 

Enquanto não atravessarmos a dor de nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades. Para viver a dois, antes, é necessário ser um. 

Fernando Pessoa



 

publicado por olhar para o mundo às 08:13
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 26 de Dezembro de 2016

Frases do Facebook - Solidão não se cura com amor dos outros, se cura com amor próprio

solidão1.jpg

 

Solidão não se cura com amor dos outros, se cura com amor próprio

 

publicado por olhar para o mundo às 21:13
link do post | comentar | favorito
Domingo, 13 de Novembro de 2016

Frases de Fernando Pessoa no Facebook - Enquanto não atravessarmos a dor da nossa própria solidão

solidão2.jpg

 

 

Enquanto não atravessarmos a dor da nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades

Para viver a dois, antes, é necessário ser um

 

Fernando Pessoa

publicado por olhar para o mundo às 08:13
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 17 de Agosto de 2016

Martha Medeiros no Facebook - Solidão não se cura com o amor dos outros, cura-se com o amor próprio

solidão.jpg

 

Solidão não se cura com o amor dos outros, cura-se com o amor próprio

 

Martha Medeiros

publicado por olhar para o mundo às 17:13
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Agosto de 2016

Clarice Lispector no Facebook - Mas chegará o momento em que me darás a mão

 daramao.jpg

 

Mas chegará o momento em que me darás a mão
não mais por solidão, mas como eu agora:
por amor.

Clarice Lispector

publicado por olhar para o mundo às 17:13
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 4 de Julho de 2016

José Saramago - A Solidão

 

A Solidão

Ora, a solidão, ainda vai ter de aprender muito para saber o que isso é, Sempre vivi só, Também eu, mas a solidão não é viver só, a solidão é não sermos capazes de fazer companhia a alguém ou a alguma coisa que está dentro de nós, a solidão não é uma árvore no meio duma planície onde só ela esteja, é a distância entre a seiva profunda e a casca, entre a folha e a raiz, Você está a tresvariar, tudo quanto menciona está ligado entre si, aí não há nenhuma solidão, Deixemos a árvore, olhe para dentro de si e veja a solidão, Como disse o outro, solitário andar por entre a gente, Pior do que isso, solitário estar onde nem nós próprios estamos. 


José Saramago, in 'O Ano da Morte de Ricardo Reis'

publicado por olhar para o mundo às 09:13
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 17 de Junho de 2016

Madame de Stael no Facebook - A consciência é uma pequena lanterna que a solidão acende à noite

Consciência

 

 

"A consciência é uma pequena lanterna que a solidão acende à noite."

 

Madame de Stael 

publicado por olhar para o mundo às 21:13
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 12 de Abril de 2016

O princepezinho no Facebook - as pessoas são solitárias porque constroem muros em vez de pontes

Solitário

 

 

 

as pessoas são solitárias porque constroem muros em vez de pontes

o pequeno principe

publicado por olhar para o mundo às 17:13
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 26 de Janeiro de 2016

Rafael Chirbes - A Solidão é Pior do que a Pobreza

Rafael Chirbes.jpg

A Solidão é Pior do que a Pobreza

Ris-te do que te digo, mas quando chegar a tua hora, verás a falta que te vai fazer um apoio e o muito que precisamos de carinho para ir vivendo, à medida que os anos passam. Alguém que esteja ao teu lado, que te pegue na mão nos teus últimos instantes (que mais podemos fazer a um moribundo?). E quando os ouves falar assim, angustias-te, imaginas-te sem conseguires levantar-te da cama, agarrado às costas das cadeiras para te moveres dentro de casa, apoiando-te às paredes para alcançares a casa de banho, ensopado num rançoso suor senil; ou morrendo asfixiado, engasgado com qualquer coisa, com um pedaço de cartilagem de vaca mal mastigado, um simples gole de água, uma migalha de pão, um desses comprimidos que tomas para a hipertensão, para facilitar o fluxo sanguíneo, para o colesterol, para a hiperglicemia; vês-te afogado na tua própria saliva: tosses, sufocas, sem ninguém por perto que te dê uma palmada nas costas, ou te meta os dedos na boca para te ajudar a expelir o que tens atravessado na garganta, alguém que chame o 112 ou te meta num carro e te leve a toda a velocidade para o hospital ou o centro de saúde mais próximo. A solidão, Liliana. As pessoas acham que é o pior. Não sei que te diga. É possível que o seja, porque, ao fim e ao cabo, a solidão — como a nudez, a desnutrição, o calor ou o frio — é só uma manifestação do verdadeiro mal, um mal esmagador, assombroso, que qualquer pessoa com dois dedos de testa deve evitar por todos os meios, e que não é senão a pobreza, sim, Liliana, é esse o único verdadeiro mal desde que o mundo é mundo, como muito bem sabes.

Rafael Chirbes, in "Na Margem"
 
retirado de Citador
publicado por olhar para o mundo às 09:13
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 27 de Outubro de 2015

Sara Não Tem Nome - Solidão

 

Letra

 

Solidão, debaixo dos sóis, acima os anzóis
Percorrem por nós
Como posso não ver
Sentimental, ao ler o jornal
Acidentes com perda total
Ninguém é imortal
Pra se ter alguém pra chorar, algo a inventar
Um instante pensar se tudo é normal
Ao passar dos anos me perco nos dias
Que nem consigo sentir
São tantas pessoas que passam nas ruas
Sem saber onde ir
Não sei explicar a brisa do vento as ondas do mar
Só sei dizer que sou só mais um, sou como você
Só sei dizer...

 

publicado por olhar para o mundo às 01:13
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 9 de Julho de 2015

Fernando Pessoa no Facebook - Enquanto não atravessarmos a dor da nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades

Dor

 

Enquanto não atravessarmos a dor da nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades

Para viver a dois, antes, é necessário ser um

 

Fernando Pessoa

publicado por olhar para o mundo às 17:13
link do post | comentar | favorito
Domingo, 31 de Maio de 2015

Arthur Schopenhauer - Quem não Ama a Solidão, não Ama a Liberdade

 

Quem não Ama a Solidão, não Ama a Liberdade

Nenhum caminho é mais errado para a felicidade do que a vida no grande mundo, às fartas e em festanças (high life), pois, quando tentamos transformar a nossa miserável existência numa sucessão de alegrias, gozos e prazeres, não conseguimos evitar a desilusão; muito menos o seu acompanhamento obrigatório, que são as mentiras recíprocas.

Assim como o nosso corpo está envolto em vestes, o nosso espírito está revestido de mentiras. Os nossos dizeres, as nossas acções, todo o nosso ser é mentiroso, e só por meio desse invólucro pode-se, por vezes, adivinhar a nossa verdadeira mentalidade, assim como pelas vestes se adivinha a figura do corpo.

Antes de mais nada, toda a sociedade exige necessariamente uma acomodação mútua e uma temperatura; por conseguinte, quanto mais numerosa, tanto mais enfadonha será. Cada um só pode ser ele mesmo, inteiramente, apenas pelo tempo em que estiver sozinho. Quem, portanto, não ama a solidão, também não ama a liberdade: apenas quando se está só é que se está livre.

A coerção é a companheira inseparável de toda a sociedade, que ainda exige sacrifícios tão mais difíceis quanto mais significativa for a própria individualidade. Dessa forma, cada um fugirá, suportará ou amará a solidão na proporção exacta do valor da sua personalidade. Pois, na solidão, o indivíduo mesquinho sente toda a sua mesquinhez, o grande espírito, toda a sua grandeza; numa palavra: cada um sente o que é.

Ademais, quanto mais elevada for a posição de uma pessoa na escala hierárquica da natureza, tanto mais solitária será, essencial e inevitavelmente. Assim, é um benefício para ela se à solidão física corresponder a intelectual. Caso contrário, a vizinhança frequente de seres heterogéneos causa um efeito incómodo e até mesmo adverso sobre ela, ao roubar-lhe seu «eu» sem nada lhe oferecer em troca. Além disso, enquanto a natureza estabeleceu entre os homens a mais ampla diversidade nos domínios moral e intelectual, a sociedade, não tomando conhecimento disso, iguala todos os seres ou, antes, coloca no lugar da diversidade as diferenças e degraus artificiais de classe e posição, com frequência diametralmente opostos à escala hierárquica da natureza.

Nesse arranjo, aqueles que a natureza situou em baixo encontram-se em óptima situação; os poucos, entretanto, que ela colocou em cima, saem em desvantagem. Como consequência, estes costumam esquivar-se da sociedade, na qual, ao tornar-se numerosa, a vulgaridade domina.

Arthur Schopenhauer, in 'Aforismos para a Sabedoria de Vida'
 
Retirado de Citador
publicado por olhar para o mundo às 08:13
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 19 de Maio de 2015

Recados do Facebook - eu estou tão sozinho quanto tu

Eu estou tão sozinho quanto tu

 

eu estou tão sozinho quanto tu

publicado por olhar para o mundo às 10:13
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2015

Fernando Pessoa no Facebook - Para viver a dois , antes, é necessário ser um

Solidão

 

Enquanto não atravessarmos a nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades ... Para viver a dois , antes, é necessário ser um

Fernando pessoa

publicado por olhar para o mundo às 16:13
link do post | comentar | favorito (1)
Sábado, 7 de Fevereiro de 2015

Nitzsche no Facebook - A minha solidão não tem nada a ver com a presença ou uasência de pessoas

solidão 

 

A minha solidão não tem nada a ver com a presença ou uasência de pessoas... detesto quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeira companhia

 

Nitzsche

publicado por olhar para o mundo às 18:13
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2015

Nietzsche no Facebook - Minha solidão não tem nada a ver com a presença ou ausência de pessoas

Solidão 

 

Minha solidão não tem nada a ver com a presença ou ausência de pessoas ... Detesto quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeira companhia.

 

Nietzsche

publicado por olhar para o mundo às 16:43
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Frases do Facebook - Soli...

. Frases de Bento XVI no Fa...

. Frases do Facebook - Soli...

. Rubem Alves - A solidão a...

. Frases do Facebook - Quan...

. Frases de Chico Buarque n...

. Frases de Fernando Pessoa...

. Frases do Facebook - Soli...

. Frases de Fernando Pessoa...

. Martha Medeiros no Facebo...

.últ. comentários

Lamento mas o texto não é de Santo Agostinhohttp:/...
Ola Jorge,Muito grata por sua pronta resposta e po...
OláJá corrigi o post e atribuí o nome correcto na ...
Olá, quero deixar registrado aqui que esta frase d...
Um grande politico.Uma grande perda para Portugal.
Verdade Universal.
É como eu tenho dito e inclusive escrito sobre ist...
Perdi meu marido há quanto meses.ainda tenho tudo ...
Muitíssimo bom!
Como eu entendo. A minha bisavó tinha 103.chorei e...

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

.tags

. imagem

. facebook

. frases

. pensamentos

. vídeo

. música

. lyrics

. letra

. vida

. textos

. amor

. humor

. anedota

. piada

. pessoas

. mulher

. imagens do facebook

. cartoon

. felicidade

. amar

. coração

. homem

. miguel esteves cardoso

. viver

. tempo

. mia couto

. mulheres

. imagens

. poesia

. mundo

. ser feliz

. crianças

. política

. fernando pessoa

. educação

. filhos

. poema

. sonhos

. aprender

. criança

. mãe

. animais

. palavras

. pensar

. liberdade

. medo

. natal

. respeito

. silêncio

. caminho

. amigos

. pensamento

. paz

. portugal

. dinheiro

. ser

. alma

. clarice lispector

. dor

. sorrir

. josé saramago

. mafalda

. mudar

. coragem

. passado

. recados

. amizade

. desistir

. escolhas

. beleza

. morte

. ricardo araújo pereira

. falar

. fazer

. feliz

. homens

. país

. pais

. coisas

. cultura

. povo

. religião

. sabedoria

. sentimentos

. verdade

. educar

. livros

. sorriso

. chuva

. ensinar

. problemas

. saudade

. acreditar

. olhar

. osho

. pessoa

. sentir

. abraço

. adopção

. chorar

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds